Connecting...

W1siziisijiwmtcvmdgvmzevmdkvmtcvndyvnzawl2fuysbibg9nlmpwzyjdlfsiccisinrodw1iiiwinduwedq1mcmixv0

Erros Que Muitos Profissionais de RH Cometem ao Longo de Sua Carreira / Mistakes That Many HR Professionals Make in Their Careers

Um dos maiores benefícios de ser um headhunter é, sem dúvida, a oportunidade que temos de conhecer diversos profissionais e indústrias. Isso nos dá uma visão muito interessante de como funciona uma infinidade de mercados e como as pessoas reagem às alterações e evoluções deles.

 

Após 8 anos conhecendo e recrutando, exclusivamente, profissionais de Recursos Humanos é muito comum eu ouvir histórias de pessoas que se tornaram coachs, que passaram a se envolver em projetos que acompanham e dão dicas de carreira para os funcionários de suas empresas, além de ajuda-los a se preparar melhor para momentos mais desafiadores do negócio. No entanto, infelizmente esse tipo de visão não se aplica a todos os profissionais que tenho contato, muitos deles não entendem a importância de se envolver em assuntos estratégicos para garantir novas perspectivas as suas carreiras. 

 

Acho importante entrarmos neste assunto, uma vez que o mercado brasileiro tem sido cada vez mais palco de investimentos globais, onde grandes empresas nacionais e multinacionais brigam pelos melhores talentos. Sei que não é fácil organizar o turbilhão de coisas nas nossas rotinas, mas é importante lembrar que tão importante quanto entregar resultados excelentes, é estar antenado nas novas necessidades do mercado e se planejar/preparar para os próximos passos de carreira. 

 

Por isso, destaco alguns erros que ainda vejo profissionais de RH cometerem:

 

“Eu não falo inglês”

Começando do básico. Quantas vezes eu já ouvi em salas de entrevista: “Eu não falo inglês, pois sempre atuei em empresas nacionais”. Apesar de ser compreensível esse argumento, isso é um grande erro estratégico para a carreira de qualquer profissional. Primeiro porque as maiores empresas nacionais hoje têm (ou querem ter) operações fora do Brasil e elas ainda sofrem com a falta de profissionais completos de RH para exportarem para outros países, devido a esses déficits na comunicação em inglês. 

 

“Não tenho me atualizado”

Esse é outro erro bem comum. Alguns profissionais acham que já possuem todas as habilidades necessárias para trabalharem e se manterem em suas áreas de atuação. O que muitos esquecem é que o mercado é dinâmico. A cada ano novas habilidades são requeridas nos processos, por isso, busque novos conhecimentos e seja curioso em relação as novas tendências de mercado. Invista em você!

 

“Minha empresa não me envolve em questões estratégicas”

Outro ponto relevante é a falta de visão de negócios de profissionais que atuam em áreas especialistas, tais como: folha de pagamento, operações de RH, desenvolvimento organizacional, entre outras. Muitos profissionais de RH esperam que o board vá convidá-los para se sentar com eles em reuniões estratégicas, mas o que poucos deles sabem é que esta cadeira precisa ser conquistada. É de extrema importância ter uma visão holística de como a empresa funciona, pois só assim será possível enxergar oportunidades de melhoria para o negócio. Isso o fará se tornar imprescindível para o corpo diretivo da sua organização, por isso, não espere receber o convite para começar a ser estratégico, simplesmente seja, por sua própria conta.

 

“Não tenho um plano de carreira”

Além de vivermos em um mercado cada vez mais competitivo, também estamos passando por uma das piores crises da história do Brasil, que já conta com cerca de 14 milhões de desempregados. Portanto, independentemente de estar empregado ou não, planeje a sua trajetória profissional. Não terceirize essa responsabilidade, ou seja, por mais que a sua empresa não tenha um plano de carreira estruturado, isso não exime a sua responsabilidade de saber onde deseja chegar.

 

“Não identifico minhas competências e habilidades”

Vejo por aí ótimos profissionais, com cases de sucesso e resultados inacreditáveis. Pessoas que realmente agregam valor para suas organizações e times, mas quando precisam falar sobre suas principais habilidades e àquilo que as fazem se sentir mais competentes, muitas delas travam nas entrevistas. Por isso digo, antes de conhecer muito bem a sua empresa, seu time ou outras áreas, invista tempo e esforço para se conhecer muito bem. Isso acrescentará muito valor ao seu trabalho.

 

“Não sou bom/ Não gosto de fazer networking”

Por fim, gostaria de pincelar essa questão. Sabemos que a timidez e até mesmo a correria do dia a dia são grandes problemas que nos assombram, mas fazer networking em RH não só é importante, como é imprescindível. Um bom profissional de RH precisa estar conectado com pessoas de diferentes áreas, formações e até mesmo de outras gerações. Além disso, essa prática permite que sejam feitos benchmarkings em outras empresas, o que costuma trazer incontáveis ganhos para as organizações.

 

 

Tenho certeza que essa breve texto te ajudará a refletir sobre a sua carreira. Se você quiser falar sobre isso, sinta-se à vontade para entrar em contato diretamente comigo agm@elliottscotthr.com 

 


 

One of the biggest benefits of being a headhunter is definitely having the opportunity to meet with different professionals and industries. This provides us with a broad understanding of how different markets work, and how people are reacting to the changes and developments in these markets.

 

After eight years of meeting and recruiting exclusively HR professionals, it’s very common for me to hear about people who have taken on a more consultative role at their workplace, who are involved in overseeing projects and they give career advice to employees, which helps them to better prepare themselves to deal with business challenges. Unfortunately, not all the professionals I meet have this kind of perspective; many of them don’t understand the importance of getting involved in the strategic side of the business in order to develop their careers. 

 

I think it’s important for us to address this issue, especially as the Brazilian market is becoming increasingly popular for global investments and major national and multinational companies are vying for the best talent. I know it’s hard to fit professional development into our busy day-to-day lives, but in order to deliver excellent workplace results, you need to be familiar with developments in the market and plan the next steps in your career. 

 

So I’ll highlight some of the mistakes that I still see HR professionals make:

 

“I don’t speak English”

Starting from the basics. I have heard this many times in job interviews: “I don’t speak English, because I’ve always worked at Brazilian companies”. Although this is an understandable argument, this is a major mistake in any professional’s career strategy. Today, the largest Brazilian companies have (or want to have) operations outside of Brazil but they lack well-rounded HR professionals that they can send to other countries, due to the shortfall in English language skills. 

 

“I haven’t kept my skills up-to-date”

This is another common mistake. Some professionals think they have all the skills they need for their job and to keep themselves in their profession. What many forget is that the market is dynamic. Every year new skills are required in each profession, so look into developing yourself and be curious about the latest market trends. Invest in yourself!

 

“My company doesn’t involve me in strategic matters”

Another relevant point is the lack of business vision that professionals who work in specialized areas have, such as: payroll, HR operations, and organizational development, among others. Many HR professionals expect the Board to invite them to sit in on strategic meetings, but this chair must be earned. It’s extremely important to have a holistic view of how the company works, because then will you be able to see opportunities for how the business can improve. This will make you become essential to your organization’s senior management, so don’t wait until you receive an invitation to start seeking out opportunities, just do it on your own.

 

“I don’t have a career plan”

Aside from the fact that we live in an increasingly competitive market, we’re also experiencing one of the worst crises in the history of Brazil, which has already left around 14 million unemployed. Therefore, regardless of whether you’re employed or not, plan your career path. Don’t outsource this responsibility; in other words, even though your company hasn’t given you a structured career plan, this doesn’t relieve you of your responsibility of knowing where you want to go.

 

“I can’t identify my capabilities and skills”

I see excellent professionals out there, who have success stories and theyv'e produced amazing results. People who really add value to their organizations and teams, but when they need to talk about their main skills and what makes them feel more competent, many of them choke in interviews. That's why I say, before really getting to know your company, your team or other areas, invest time and effort to really get to know yourself. This will add a lot of value to your work.

 

“I don’t like / I’m not good at networking”

Finally, I’d like to touch upon this issue. We know that shyness and even our busy day-to-day routines are things that hamper us, but networking in HR is not only important, it’s essential. A good HR professional needs to be connected with people from different fields, backgrounds and even other generations. Also, this practice allows for benchmarking of other companies, which usually brings untold gains to organizations.

 

 

I hope this article will help you to reflect on your career. If you’d like to talk more about this topic, please contact me at agm@elliottscotthr.com

Articles similar to Brazil

Articles similar to career advice